30/01/2006

sobre opções...

dando continuidade ao raciocínio do post anterior...

O homem é livre, pode optar. Pode escolher os seus caminhos. Tem capacidade para elaborar projetos de vida.
Se optarmos pelo "eu" unicamente, todos os nossos dinamismos passam a girar em torno deste "eu". O valor supremo passa a ser o "eu", o "eu" é absolutizado. Deus é banido. É uma opção que leva ao egoísmo, ao fechamento sobre si mesmo, à morte.

Do livro 'você conduz a sua história?'

Nada nos torna mais livres do que o auto conhecimento.
Creio que o auto conhecimento está muito mais 'fora' da gente do que fechado no nosso 'eu'.
Somos essencialmente seres de relação.
E não de qualquer relação, passamos a ter em nós características dos seres com os quais nos relacionamos, e mais.. passamos a ter em nós 'parte' destes seres, seja materialmente ou subjetivamente falando.
É a cosmovisão que Chardin nos apresenta: interagimos com toda a criação, a criação é em nós, e nós somos com o mundo.
Negar nossa natureza é violentar nossa alma, e nos condenar ao vazio e à inércia dos que não sabem prá quê viver.
Legal é viver esta natureza, deixando Deus ser Deus e ocupar o seu espaço... isto nos torna livres, plenos, conscientes, abertos para viver o verdadeiro amor em todos os graus, rumo ao infinito!

27/01/2006

grande... mestre...

"Cada um de nós, quer queira quer não,
liga-se, por todas as suas fibras materiais,
orgânicas e psíquicas, a tudo que o circunda"
Teilhard de Chardin

Quanto mais conheço do pensamento de Chardin,
mais me encanta...
e cada vez mais fica evidente o quanto este papinho de 'cada um é cada um',
este individualismo doentio,
serve mesmo só para fazer mal para as pessoas.

Nunca se falou tanto em privacidade/individualismo
e nunca antes as pessoas foram tão tristes/vazias/frias.

26/01/2006

esperança

"Os dias frios, cinzas e solitários
não duram para sempre...
Os pássaros sabem disso,
e é por isso que cantam.
Nunca devemos desistir
nem admitir sentimentos de fracasso.
Dúvidas vão e vêm,
assim como as estações do ano...
Mesmo quando tudo o que é bom parece perdido,
lembremo-nos que a vida é um círculo
e a Esperança mora no horizonte."
( Lynne Gerard)

Gostei da parte que fala que a esperança mora no horizonte, esperança é o que nos faz continuar no caminho, continuar andando... em movimento.
E o horizonte se move continuamente, conforme avançamos, o horizonte também avança.
Assim é a esperança, ela é dinâmica,
a cada momento avança, para nos motivar a manter a caminhada.

Isso explicaria o fato de termos hoje objetivos concretos, que amanhã não farão mais tanto sentido... basta olhar para trás e ver quantas coisas alcançamos, e que hoje não nos movem mais...

A graça da vida está aí,
ter sempre o horizonte diante de si,
e seguir andando.

Alcançar objetivos, mas não os usar como desculpa para 'fincar acampamento' e esquecer do horizonte...

25/01/2006

silenciar

Do silêncio tem necessidade o homem de hoje,
que freqüentemente não sabe calar-se,
por medo de encontrar-se consigo mesmo,
de descobrir-se a si próprio,
de sentir o vazio que se interroga por seu significado;
o homem aturdido pelo ruído.
Todos necessitam aprender o silêncio que permite ao Outro falar,
quando quiser e como quiser, e a nós, permite compreender essa palavra.

(fonte: www.mosteiro.org.br)


Fiz uma experiência muito gostosa ontem, de silêncio... de calar... de ouvir e sentir...
coisa bem boa!
Deus nos dê a graça da perseverança... hehehe

Beijo, no silêncio...
Babi

20/01/2006

quintana...

eu tava atrás deste poema,
fico chamando o Zé de 'meu véio'
gostei do jeito como o Quintana se viu...
rebelde ainda, sem reconhecer o velho no espelho.

Penso q comigo vai ser assim, vou ser este menina aqui prá sempre,
e um dia não vou reconhecer a vó no espelho.. hehehe

****

O Velho do Espelho
Por acaso, surpreendo-me no espelho: quem é esse
Que me olha e é tão mais velho do que eu?
Porém, seu rosto...é cada vez menos estranho...
Meu Deus, Meu Deus...Parece
Meu velho pai - que já morreu!
Como pude ficarmos assim?
Nosso olhar - duro - interroga:
"O que fizeste de mim?!"Eu, Pai?! Tu é que me invadiste,
Lentamente, ruga a ruga...
Que importa? Eu sou, ainda,
Aquele mesmo menino teimoso de sempre
E os teus planos enfim lá se foram por terra.
Mas sei que vi, um dia - a longa, a inútil guerra!
-Vi sorrir, nesses cansados olhos, um orgulho triste...

( Mário Quintana )

19/01/2006

Hoje

“Hoje eu preciso ouvir qualquer palavra tua
Qualquer frase exagerada que me faça sentir alegria
Em estar viva...”


Que momento
O auge da mulher sensível,
Com os hormônios alterados,
Em um tempo melancólico...

Ouvindo Jota Quest e curtindo muito!!!

Esta música já fez parte de um momento muito especial da minha história, e me trouxe de volta hoje a sensação de precisar de colo...
Normalmente sou assim, extremamente sensível, só os que convivem diretamente e intensamente comigo sabem desta característica (e agora todos q lerem este post...).

Realmente, faz sentido a lua ser a ‘regente’ da dimensão feminina.
Ai ai
Q momento!

Há tempos não me sentia assim.
(suspiro)

13/01/2006

divagar... devagar.... de vagar

divagar muito
sem pressa
devagar
porque além de vagar
por aí
por aqui
o rumo é fundamental
para quem quer
um dia
chegar a algum lugar
quem sabe...

(by Babi na primeira sexta feira, que é 13, de 2006)

q viagem, né?
to por essas agora... divagações... quem quer escolher, deve identificar as opções, não é verdade?

e de mais a mais
sonhar não custa nada!

11/01/2006

quintana


uma das coisas boas das férias foi visitar novamente a casa de cultura em POA.

Ah, adoro aquele lugar, cheira cultura, cheira inteligência, poesia e sensibilidade.

10/01/2006

q pena

que em são leopoldo não tem praia, porque hoje o dia tá bom demais prá cair na água...

muito calor, sem mais comentários.

Que venha o inverno... hehehe

Viva o minuano e o chocolate quente!!!!

09/01/2006

Stress? o que é isso?

oi galerinha amada,
voltei hoje das minhas terapêuticas férias.

Peço desculpas aos amigos por praticamente não ter convivido,
mas acreditem, vocês vão gostar desta versão sem stress da Babi.

Cozinhei, fiz crochê, li bastante (eu e o Zé lemos um livro por semana, praticamente abolimos a televisão) assistimos uns filmes interessantes no nosso DVD novo (aproveito prá contar a novidade.. hehe). Passeamos os dois, fomos a lugares interessantes, mas aqui na região, estivemos passeando pelas ruas de POA e também no Centro e Feitoria.
Fomos ao cinema, fizemos programinhas lights, dignos de namorados.
De certa forma precisávamos viver isto também.

Estou cheia de espectativas para 2006, e quero partilhar mais a vida com meus amigos.

Postagens populares