01/11/2010

E a esperança vence a baixaria...

Partilho palavras de Leonardo Boff à nova presidente do Brasil!

Desafios para a Presidente Dilma Rousseff - texto de L. Boff
Celebramos alegremente a vitória de Dilma Rousseff. E não deixamos de folgar também pela derrota de José Serra  que não mereceu ganhar esta eleição dado o nivel indecente de sua campanha, embora os excessos tenham ocorrido nos dois lados. Os bispos conservadores que, à revelia da CNBB, se colocaram fora do jogo democrático e que manipularam a questão da descriminalização do aborto, mobilizando até o Papa em Roma, bem como os pastores evangélicos raivosamente partidizados, sairam desmoralizados.
Post festum, cabe uma reflexão distanciada do que poderá ser o governo de Dilma Rousseff.  Esposamos a tese daqueles analistas que viram no governo Lula uma transição de paradigma: de um Estado privatizante, inspirado nos dogmas neoliberais para um Estado republicano que colocou o social em seu centro para atender as demandas da população mais destituida. Toda transição possui um lado de continuidade e outro de ruptura. A continuidade foi a manutenção do projeto macroeconômico para fornecer a base para a estabilidade política e exorcizar os fantasmas do sistema. E a ruptura foi a inauguração de substantivas políticas sociais destinadas à integração de milhões de brasileiros pobres, bem representadas pela Bolsa Familia entre outras. Não se pode negar que, em parte, esta transição ocorreu pois, efetivamente, Lula incluiu socialmente uma França inteira dentro de uma situação de decência. Mas desde o começo, analistas apontavam a inadequação entre projeto econômico e o projeto social. Enquanto aquele recebe do Estado alguns bilhões de reais por ano, em forma de juros, este, o social, tem que se contentar com bem menos. 
Não obtante esta disparidade, o fosso entre ricos e pobres diminuiu o que granjeou para Lula extraordinária aceitação.
Agora se coloca a questão: a Presidente  aprofundará a transição, deslocando o acento em favor do social onde estão as maiorias ou manterá a equação que preserva o econômico, de viés monetarista, com as contradições  denunciadas pelos movimentos sociais e pelo  melhor da inteligentzia brasileira?

Estimo que, Dilma deu sinais de que vai se vergar para o lado do social-popular. Mas alguns problemas novos como aquecimento global devem ser impreterivelmente enfrentados. Vejo que a novel Presidente compreendeu a relevância da agenda ambiental, introduzida pela candidata Marina Silva. O PAC (Projeto de Aceleração do Crescimento) deve incorporar a nova consciência de que não seria responsável continuar as obras desconsiderando estes novos dados. E ainda no horizonte se anuncia nova crise econômica, pois os EUA resolveram exportar sua crise, desvalorizando o dólar e nos prejudicando sensivelmente.
Dilma Rousseff marcará seu governo com identidade própria se realizar mais fortemente a agenda que elegeu  Lula: a ética e as reformas estruturais. A ética somente será resgatada se houver total transparência nas práticas políticas e não se repita a mercantilização das relações partidárias(“mensalão”).

As reformas estruturais é a dívida que o governo Lula nos deixou. Não teve condições, por falta de base parlamentar segura, de fazer nenhuma das reformas prometidas: a política, a fiscal e a agrária. Se quiser resgatar o perfil originário do PT, Dilma deverá implementar uma reforma política. Será dificil, devido os interesses corporativos dos partidos, em grande parte, vazios de ideologia e famintos de benefícios. A reforma fiscal deve estabelecer uma equidade mínima entre os contribuintes, pois até agora poupava os ricos e onerava pesadamente os assalariados. A reforma agrária não é satisfeita apenas com assentamentos. Deve ser integral e popular levando democracia para o campo e aliviando a favelização das cidades.

Estimo que o mais importante é o salto de consciência que a Presidente deve dar, caso tomar a sério as consequências funestas e até letais da situação mudada da Terra em crise sócio-ecológica. O Brasil será chave na adaptação e no mitigamento pelo fato de deter os principais fatores ecológicos que podem equilibrar o sistema-Terra. Ele poderá ser a primeira potência mundial nos trópicos, não imperial mas cordial e corresponsável pelo destino comum. Esse pacote de questões constitui um desafio da maior gravidade, que a novel Presidente irá enfrentar. Ela possui competência e coragem para estar à altura destes  reptos. Que não lhe falte a iluminação e a força do Espírito Criador.

 

27/10/2010

Casaldáliga

Tomo a liberdade de postar este texto, do Zé Vicente, uma pessoa fantástica, com a alma tão bela quanto as belas músicas que compõe (não fosse assim, não teria obras tão lindas).

O Zé foi visitar Dom Pedro... bom... segue o texto dele...


O beijo de Pedro
 
Zé Vicente, poeta e cantor, relata sua visita ao bispo dom Pedro Casaldáligainternado em Goiás e publicado pelo sítio do Cimi, 26-10-2010.
Eis o relato.
A estrada foi longa e já era meio dia de 21 de outubro. Itamar, nosso companheiro motorista, estacionou a Kombi na sombra de um Ipê, pleno das primeiras folhas, após passagem das primeiras chuvas no cerrado goiano.
Entramos no pequeno hospital de Ceres, para acolhermos a graça da visita tão esperada.
Ali, sentado numa cadeira, tomando soro, frágil no corpo, luminoso na alma, você,Irmão Pedro, nos acolhe com o brilho de sempre, com certeza mais transfigurado ainda, pelos desafios da idade e das "irmãs doenças" que vão chegando na estação que a vida te apresenta.
Um abraço muito especial a cada um de nós - Eliane, cantora; Heriberto, músico; Itamar e eu, a quem me chamas carinhosamente de "Moleque da Caminhada".
Emocionado, te beijei na fronte. Beijo comunitário, em nome de tanta gente que me encarregou desta visita.
Mesmo pronto para viagem a Goiânia, onde faria os últimos exames antes de uma cirurgia, você, nosso 
Pedro, não parou de falar, com palavras e os gestos tão característicos -querendo saber de nossas ações de arte, lembrou que espera ouvir a música que compus sobre o teu poema a São José, segurou minhas mãos e falou baixinho- "dias 16 e 17 de julho de 2011, no Santuário dos Mártires, Ribeirão Cascalheira...".
Brinquei sério e crente: "Você tem obrigação de estar vivo até lá"!
Tua resposta serena e sorridente: "De qualquer maneira é Páscoa!", tua expressão soou como um misto de código e profecia.
Ao Heriberto, de origem Tabajara, falou: "um índio!" E contando os dedos exclamou: "Língua! Memória! Terra...", revelando a tua paixão crônica pelos povos a quem amaste incondicionalmente.
Para Eliane, mais gestos de carinho.
Menos de quinze minutos de relógio, ampliados na divina dimensão cósmica, para a vastidão eterna do tempo-amor ao qual pertencemos todos e todas as criaturas.
Saímos rápido, para a 4ª Romaria dos Mártires, em Carmo do Rio Verde, em memória dos 25 anos do assassinato de Nativo da Natividade.
Mesmo que o nosso coração pedisse para continuar um pouco mais contigo ali em vigília de amizade e cumplicidade, a missão de arte-vida nos avisava para seguir.
No Pátio do Hospital, recolhi várias sementes do Ipê Amarelo, que envolvi num lenço de papel. Sementes ungidas, como nossa fronte, com o teu beijo e nossas lágrimas da mais pura e agradecida emoção, ao Divino e a você: Pedro nosso, de tantos povos, do universo, do Deus da Vida Plena, sempre em estado de Páscoa permanente!


Amém! Axé! Aweré! Aleluia!
Fortaleza, 25 de outubro de 2010.

14/10/2010

o que fala a palavra, o que fala a Palavra?

Antes, sendo noite,
Já era a Palavra.
No vento e nas flautas.
Falando nos montes, falava nas águas.
Plantava, colhia, dançava.
Falava na vida, a vida;
Na morte, a terra sem males falava.
E veio a Palavra se dizendo dia,
Cercada de armas, forrada de Bíblia.
E matava a vida, e a morte falava.
Era má notícia.
Nas mãos da palavra.
Agora é hora de ser simplesmente
Palavra a palavra.
a Boa Notícia desnuda e amada,
Vestida de Bíblia, despida de armas,
Cheirosa de povo
No vento, no sangue, nas flautas.
(Dom Pedro Casaldáliga)



Este homem fascinante está com a saúde debilitada, internado em Goiânia.
Diante da onda neoconservadorista da Igreja Católica (o que pessoalmente me faz crer que o colapso está eminente, uma vez que não atrai mais pessoas críticas e pensantes para suas fileiras, apenas ovelhas cegas e reacionárias) nos entristece ver que os grandes faróis do cristianismo libertador estão fisicamente enfraquecendo.


Quando fazia meu trabalho de conclusão, lia partes dos diários do Pe Orestes Stragliotto, seu testemunho me falava de uma Igreja (a mesma de Casaldáliga) cheia de vida, com energia para ser efetivamente contra cultural, promovendo a libertação, a cidadania, o cuidado e a ternura. Comparando com a Igreja primitiva estudada na minha formação acadêmica é impossível não traçar paralelos, identificando os fundamentos da fé, as motivações e os grandes ideais abraçados.
Aí veio a institucionalização.... e a coisa foi por água abaixo.
Antes disso, ser cristão era perigoso. Depois disso é obrigação.
E nada mais sem tesão do que fazer algo por obrigação.
E o amor se esvaziou, ficou apenas o peso da pedra institucional, atribuída a Pedro (pobre Pedro, tanto se fez por vaidade própria em nome dele).
Mas o bom Deus não desiste de seu povo, e chama pessoas como Dom Pedro, a clamar no deserto púrpura da instituição corrompida e deslumbrada, a clamar como faria Jesus. Sem clégima, sem pompa, sem cálices de ouro que custam o preço de uma casa popular... 
A clamar com a vida, com seu testemunho, com todas as suas forças.
Uma vida colocada à serviço, para que não esqueçamos que o Cristo vive sim, mas no meio do povo. 
Pobre, sujo, sem casa, sem teto, indigente, diferente, e ouso dizer, pela instituição igreja excomungado.


‘Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste essas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelaste aos pequeninos" Lc 10,21

08/10/2010

ainda sobre decoração - objetos (simples) de desejo

Decidimos mudar muitas coisas aqui em casa, queremos ter um ambiente confortável, seguro e aconchegante. Primeiramente vamos precisar fazer boas reformas, a começar pelo telhado, fiação, e infiltrações... e uma pequena ampliação para comportar uma cozinha e abrir espaço para um quarto onde hoje é a sala da bagunça.
Enfim...
Tenho então visitado muitos blogs... vendo coisas lindas, simples, sofisticadas, fáceis, complicadas... de tudo um pouco, e tudo, absolutamente tudo absurdamente inspirador.

Peguei esta imagen do Decor8,  há nela dois objetos do meu desejo:
Um pedestal para servir bolo e um sapo espremedor de frutas, não são lindos?
#momentoamélia

29/09/2010

Papa bolinha

E não é que o aparelho funciona direitinho???
Eu costumo lavar todas as roupas na máquina, e isso faz com que surjam as inevitáveis bolinhas, principalmente nas roupas de lã. Pensando numa forma de eliminar as bolinhas das roupas comprei um 'papa bolinhas', que está disponível no catálogo da Hermes. Bem baratinho, paguei R$9,90 se não me falha a memória. E valeu a pena.
Prá quem não conhece, segue a fotinho, e fica a dica.
Ele funciona à pilha, é levinho e chega a ser terapêutico... risos.

22/09/2010

apaixonada por decoração

Sabem que estou de lincença maternidade, né?
e eventualmente, a filha tira umas sonecas...

Neste tempinho de 'folga' tenho curtido um pouco a casa, e pesquisado sobre dicas de decoração, reciclagem, artesanato... (filha de peixe peixinho é)

Pois bem, nestas andanças virtuais tenho descoberto verdadeiras maravilhas em formato de blog.

Uma delas é o blog Além da Rua do Atelier... ali tem dicas maravilhosas, partilhados pela artesã...
Ela está promovendo um sorteio de primavera, vale a pena conferir, e também tentar a sorte... vai lá ver!!!

http://alemdaruaatelier.blogspot.com/2010/09/sorteio-da-primavera-e-aqui-no-alem-da.html#comment-form

17/09/2010

to cansada.

Quando eu chego em casa nada me consola
Você está sempre aflita
Lágrimas nos olhos, de cortar cebola
Você é tão bonita 
Você traz a coca-cola eu tomo
Você bota a mesa, eu como, eu como
Eu como, eu como, eu como
Você não está entendendo
Quase nada do que eu digo
Eu quero ir-me embora
Eu quero é dar o fora
E quero que você venha comigo
E quero que você venha comigo
Eu me sento, eu fumo, eu como, eu não aguento
Você está tão curtida
Eu quero tocar fogo neste apartamento
Você não acredita
Traz meu café com suita eu tomo 
Bota a sobremesa eu como, eu como
Eu como, eu como, eu como
Você tem que saber que eu quero correr mundo
Correr perigo
Eu quero é ir-me embora
Eu quero dar o fora
E quero que você venha comigo
E quero que você venha comigo
E quero que você venha comigo
E quero que você venha comigo
E quero que você venha comigo

17/08/2010

vida de mãe é assim...


E vida de pai também... hehehe
Vamos em frente! apesar das peculiaridades, é fantástico ter esta menina linda conosco!
:)

16/08/2010

porque embalamos o bebê?


Trago esta reportagem, que me ajudou bastante a entender pq minha filhota gosta tanto de um colinho e de um embalinho...

...

Os embalos de sábado à noite

Quando a mulher está grávida o simples ato de caminhar significa uma movimentação de corpo inteiro para o bebê que, mesmo sem mexer as perninhas já “anda junto” com a mãe desde o início da existência. E não é só isso. A contração dos órgãos dela ao fazer a digestão e desempenhar outras funções tão comuns ao dia-a-dia de qualquer ser humano representa para o bebê um remelexo todo especial e, acredite, tudo tem um ritmo.

Resultado: ele se acostuma a quase sempre estar em movimento. Por isso mesmo é que se torna uma de suas únicas garantias na vida, certo? A ironia é que o bebê dorme enquanto a mãe se movimenta e acorda na hora em que ela para para dormir. Aí quem começa a se mexer é ele. Como o feto alterna momentos de vigília e descanso, pode ficar tranquila, uma hora ele dorme. E ao longo do tempo, dá até para se acostumar a dormir com ele se mexendo
mesmo. Se ele está “dançando” lá dentro é porque está tudo bem. Mais um motivo para ficar despreocupada e dormir muito bem. Para completar, quando o bebê se movimenta com a mãe ele também aprende a brincar de se mexer sozinho. É por isso que lá pelos cinco meses de gestação ele começa a se movimentar dentro da barriga. E isso inclui o pacote completo: ele mexe todos os dedos, a boca, as pernas, os braços, a língua e até anda!

Depois que o bebê nasce a dança continua. Segundo a psicóloga Eliana Pommé, o embalo é algo instintivo para as mães, e funciona muito bem. É que o bebê associa a sensação do movimento ritmado ao sentimento de calma que isso provocava nele lá dentro do útero.

Pensando na importância do colo, foi criada a Slingada. O evento surgiu no grupo de apoio à amamentação Matrice e é uma reunião de mães, pais e cuidadores que desejam aprender a usar o sling e outros tipos de carregadores de bebê. A ideia é criar um colo fixo e ficar com o bebê sempre junto ao corpo, aproveitando o "gingado" natural do corpo da mãe.

O ATO DE EMBALAR É PARTE DA TRANSIÇÃO DO MUNDO INTRAUTERINO PARA O MUNDO EXTERIOR. “O TOQUE AMOROSO ESTIMULA A MOTRICIDADE DA CRIANÇA, SEU DESENVOLVIMENTO EMOCIONAL, INTELECTUAL E PSICOLÓGICO” explica Eliana. Ela necessita do contato com a pele da mãe para associar a vida fora do útero a tudo que lhe é familiar e que envolve, principalmente, o corpo da mãe, o cheiro dela, o calor que ela emana... Claro que o embalo tem ser suave, não adianta balançar a criança freneticamente num momento de desespero em busca do sono perdido. Mãe e bebê tem estar envolvidos, curtindo a “dança”. Além de fazer bem para o seu filho, cria um momento especial entre vocês, que se movem em uma só canção.

Consultoria: *Eliana Pommé, mãe de Luana, Naila e Petrus, psicológa, psicoterapeuta, especialista em gestação, parto e pós-parto e relação mãe e bebê, tel.: 3862-1420 *Rosangela de Souza, mãe de Gabriel e Heloisa, pedagoga, organizadora da slingada, tel.: (11) 8383-9075, amollis@ig.com.br

19/07/2010

uma imagem vale muito

esta imagem fala de meu sentimento, do meu encantamento por esta bonequinha...

Te amo filha!

18/07/2010

E nasceu a filhotinha...

Recebi uma mensagem que dizia:
"Quando nasce um bebê, nasce também uma mãe."
e é bem assim mesmo...

A Bruna nasceu dia 05 de julho, às 8h em Novo Hamburgo (RS).

E com ela nasceu a mãe Babi... está sendo uma experiência indescritível.

Este primeiro momento de convivência é um período intenso de adaptação e conhecimento mútuo. Aprender a distinguir o chorinho, se é fome, sono, fralda molhada ou pura manha...
Aprender a dar comida de maneira suficiente, aprender a amamentar... as habilidades vão nascendo dentro da gente, juntamente com a capacidade de se resignar e se abrir para o serzinho tão pequeno que também veio de dentro da gente.

Sair de si, agora estou aprendendo o significado desta expressão. É necessário sair de si e se colocar no lugar do outro, do ser amado incondicionalmente, do frágil bebê que o mundo pôs no nosso colo.

To apaixonada pela nossa princesinha. Ela é linda, estamos nos conhecendo melhor a cada dia, e está sendo delicioso ficar acordada com ela, perder o que eu achava ser horário de almoço e horário de descanso... hehehe.

Mas tudo vale a pena em nome desta adaptação.

Adaptando a gente evolui, adaptando a gente se entende.

:)
Deixo uma fotinho da princesa, no frio do RS.

02/07/2010

Hexa em 2014???

Pois então, como estou de licença... repousando e aguardando chegar a segunda feira e o nascimento de nossa filha Bruna, tenho acompanhado os jogos.
Fora de brincadeira, assisti o jogo da Holanda com a Eslováquia, perdi a confiança na seleção ao ver o sangue frio dos Holandeses, absurdamente focados no resultado...
Enfim, em função dos erros e acertos do futebol, a seleção parou nestas quartas de final, e voltam mais cedo prá casa.

Como vamos assistir o resto dos jogos, vou escolher outra seleção prá torcer.

Tenho um carinho enorme pelo Uruguai, vivo dizendo que nós gaúchos temos mais em comum com os Uruguaios do que com o resto do Brasil, e isso não é puro bairrismo não, peraí... deixa eu falar...
Isso de deve à composição das etnias, aos traços culturais, à geografia, economia... língua... etc...

Enfim, sigo torcendo pelo Uruguai, e como boa filha do Vale do Sinos, pela Alemanha... por quem temos uma simpatia enorme, além de alguns alelos de DNA em comum.

E também gostaria de pedir ao Mick Jagger.. TORÇA PELA ARGENTINA, pelamordedeus, baita pé frio do caramba!!!

04/04/2010

Feliz Páscoa

Que sempre consigamos ver a cor e a luz do caminho,
mesmo quando o céu se esconde,
a beleza de Deus, a leveza das cores permanecem
revelando a diversidade e a riqueza do amor do criador.
Amém!

11/02/2010

gravidez

este blog sempre foi o meu 'diário virtual', mas depois do começo da gestação quase não escrevo aqui.
Venho então convidar para visitar o blog da gestação.
Pretendemos mantê-lo como um registro, futuramente é possível publicar como um livretinho para que o bb conheça esta história, é possível fazer isso para 'consumo próprio', sem ser publicação em gráfica, mas como um belo registro mesmo, 'doméstico'...
visite, siga... comente...
http://bbdababi.blogspot.com/

Espero vc por lá.
Bj

Postagens populares